Igreja Presbiteriana do Riachuelo
 
 
Escola Bíblica Dominical     Liderança
Vice-Superintendente: Edmar Andrade Gomes
Secretário: Edna Varella Serapião
Tesoureiro: Dc.Wanderlaan Cantharino
 
 
Agenda
Estudos Biblicos
Fale Conosco
Galeria de Fotos
Liderança
Novidades
Sobre Nós
Fale Conosco
Sua opinião é muito importante para nós.
Paul (David) Yonggi Cho

 

(Ensinos e Atividades Gerais)

        Paul Yonggi Cho nasceu no dia 14/02/1936 na província de Kyung-sam, distrito de Sam-nam, na área de Kyo-doeng, Coréia do Sul. Foi o primogênito de uma família de cinco meninos e quatro meninas, cujos pais foram Doo-Chun e Sra. Bock-sun Kim. Durante a sua infância Cho foi amplamente treinado no Budismo, Confucionismo e outras religiões orientais. Era um rapaz estudioso e esforçado, tendo se formado com honra na escola secundária. E como o seu pai perdeu toda a fortuna tentando eleger-se a um cargo público, ele precisou estudar numa escola técnica, a fim de se preparar para conseguir um emprego, no futuro.

        Perto dessa escola havia uma base militar americana e na convivência com os soldados Cho aprendeu a falar fluentemente o Inglês, tendo servido de intérprete entre os americanos e os mais graduados de sua escola. Estas e outras qualidades positivas demonstraram antecipadamente que ele seria um líder no futuro.

        Em 1956, Cho foi morar em Seul e entrou no Full Gospel Bible College, onde se graduou. Certa noite, após ter jejuado e orado, Cho teve uma visão, quando afirma ter recebido a plenitude como Espírito Santo [N.T. - Por que será que todos os fundadores de seitas sempre têm uma ou mais visões, antes de deslanchar o seu objetivo religioso? Talvez a explicação esteja em Gálatas 1:6-8]. Mais tarde Cho se juntou ao Pr. Choi Já-shil, que iria se tornar o seu sócio nos empreendimentos religiosos e também o seu sogro.

        Vamos dar agora algumas informações enviadas pelo CPR, colhidas no site  http://www.rapidnet.com/~jbeard/bdm/exposes/cho/general:

         Paul Yonggi Cho é o "pastor" da maior igreja evangélica do mundo, com 850.000 membros, a Igreja do Evangelho Pleno de Yoido (Assembléias de Deus), em Seul, Coréia do Sul.  (A edição da revista Charisma, de novembro, 1992, registra que depois de uma ligeira briga em família, Paul mudou o seu primeiro nome para "David").

        Os ensinos de Cho são uma mistura idólatra feita com uma pequena porção da Bíblia, mais uma boa porção de curandeirismo ocultista, profecia, visualização e feitiçaria, além de técnicas mentais do paganismo [N.T - Suas doutrinas constituem o grosso dos ensinos de todas as igrejas do pentecostalismo, com uma gama de profecias, sinais, maravilhas, glossolalia, visões, visualizações e esquisitices].

         Cho ensina que os cristãos podem conseguir tudo que desejam, aplicando o mundo espiritual da "Quarta Dimensão", visualizando suas necessidades, sem importar quão estúpidas e grosseiras sejam elas. Ele ensina que o pensamento positivo, a declaração positiva  e a visualização positiva são as chaves para o sucesso e que todo mundo pode literalmente "incubar" e dar à luz a realidade física, se criar em sua mente uma vívida imagem e focalizar a mesma.

         David Cloud visitou a Igreja do Evangelho Pleno em Yoido, em novembro 2003, e dele colhemos os registros que seguem:

         "Eles afirmam que são 850.000 membros, porém creio que se trata de um grande exagero. Eles realizam sete cultos dominicais, com cerca de 14.000 cadeiras em seu auditório. A igreja estava lotada nos dois cultos a que assisti, mas mesmo assim essa conta de 850.000 membros não existe, mesmo que se acrescentassem outros locais onde se realizam cultos. É uma igreja carismática, onde eles apresentam uma porção de falsa doutrina, o que é muito triste, tendo em vista o grande número de pessoas que estão sendo conduzidas à perdição.  Cho é muito popular no mundo inteiro. Ele ensina que Deus permite a cura e a prosperidade a todo crente. De fato, ele considera isso como a parte essencial do seu evangelho. O website da igreja apresenta um evangelho quíntuplo: o evangelho da regeneração; o evangelho da plenitude do Espírito Santo; o evangelho da cura divina; o evangelho da bênção e o evangelho do advento.  O website da Igreja de Yoido diz: ‘A fé do Evangelho Pleno não apresenta apenas a salvação realizada totalmente por Cristo, que Ele ressuscitou dos mortos, mas também crê na libertação da enfermidade física e da salvação para a vida amaldiçoada'. Ao fazer acréscimos ao evangelho da morte, sepultamento e ressurreição de Cristo [Cho] está pregando um falso evangelho. Na 1 Coríntios 15:1-4, Paul declara: "TAMBÉM vos notifico, irmãos, o evangelho que já vos tenho anunciado; o qual também recebestes, e no qual também permaneceis. Pelo qual também sois salvos se o retiverdes tal como vo-lo tenho anunciado; se não é que crestes em vão. Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras". Paulo também advertiu que se alguém acrescentasse ou mudasse esse evangelho seria amaldiçoado (Gálatas 1:6-8). Estas palavras são amedrontadoras! O website da Igreja do Evangelho Pleno de Yoido diz que 279 dos 527 pastores da Igreja são mulheres, o que é uma clara desobediência à 1 Timóteo 2:11-12: ‘A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição. Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio'".

* A Conferência Internacional Anual do Crescimento da Igreja  foi realizada entre 28/09 e 06/10/1992, na Igreja do Evangelho Pleno em Yoido, Seul, Coréia do Sul (Assembléias de Deus Coreanas) e Cho é o cabeça do Movimento Internacional do Crescimento da Igreja) [ao qual aderem todos os líderes americanos do Reconstrucionismo]. O custo dessa Conferência foi de 1.750 dólares per capita... O programa de uma semana para essa Conferência foi de uma adoração "unionista", com uma verdadeira Babel de denominações (o Dr. C. Peter Wagner e Donald McGravan, professor em Crescimento da Igreja e Frenologia no Seminário Fuller, foram convidados como preletores principais. A conexão de Cho com a América é feita através do Seminário Fuller e do [Príncipe dos apóstolos] Peter Wagner, cooperador de Cho, dos companheiros pentecostalistas e dos gurus do Movimento do Crescimento da Igreja na América). Além dos vários falsos ensinos referentes ao crescimento da igreja, de Cho,  (os quais serão mais tarde detalhados) existem mais dois erros principais referentes ao ensino do crescimento da igreja como organização. Primeiro, esse ensino contraria a vontade de Deus, por concentrar um excesso de organização mecânica. Segundo, ele viola  o desempenho bíblico das mulheres, nomeando-as como líderes ou pastoras no ensino e pregação aos homens.

* Nos anos 1990, Cho deslanchou uma campanha de 700.000 assinantes (circulação total de um milhão) do Daily News de Seul,  com um staff totalizando 500 repórteres em tempo integral, no mundo inteiro, com um staff coreano de 800 trabalhadores em tempo integral e de 400 em meio período. Cho afirma que iniciou o jornal como um esforço no sentido de induzir sua nação a estilos de vida mais piedosos e morais. [N.T - Estilos de vida piedosos e morais formam o patamar da nova religião "cristã" de domínio mundial, defendida pelos reconstrucionistas]. Cada assunto [publicado no jornal] incluía 4 páginas de "material cristão" e 24 páginas de propaganda secular.

* O envolvimento de Cho com os movimentos do pensamento positivo, da profecia, da cura miraculosa, da prática carismática, da teologia da prosperidade e do evangelismo mundial tem-no feito ser considerado como um exemplo de "sucesso"  e de "prosperidade", nos dias de hoje. Pelo fato dele ter alcançado enorme sucesso no crescimento da igreja, um grande número de líderes "cristãos" tem recomendado e usado muitos dos seus livros. Mas o que Cho realmente prega é um substituto bíblico dos ensinos centrados em Deus,  por um sistema mundano antropocêntrico de evangelho da prosperidade, confissão positiva, visualização, conceito da Quarta Dimensão e outras idéias perigosas. Sua metodologia desviou-se da verdadeira fé cristã.

* Vamos dar em seguida o resumo de alguns ensinos de Cho (segundo um abstrato de uma dissertação de doutorado pela Christian Vei). Alguns dos específicos serão expandidos mais tarde, neste registro.

a) - Duas são as principais áreas de erro na Bibliologia de Cho: o prosseguimento da revelação e o método de interpretação. Cho defende uma posição inaceitável - a mutuamente exclusiva visão do encerramento do Cânon e a continuação da revelação especial. Ao fazer isso, ele mina a autoridade e suficiência da Palavra de Deus - a Bíblia. O método de interpretação de Cho é tão alegórico, arbitrário e subjetivo que ele virtualmente distorce as verdades bíblicas e as significações textuais.

b) - Na doutrina de Deus a filosofia antropocêntrica de Cho conduz ao desvio do ensino bíblico nas áreas da bondade, da vontade e da soberania de Deus. Quando ele insiste em que a vontade de Deus para os Seus filhos consiste na prosperidade e na saúde, ele desrespeita o meridiano ensino da Escritura sobre o sofrimento e o contentamento do cristão. O ensino de Cho se apóia na teologia antropocêntrica, quando ele afirma que Deus nada pode fazer se não cooperarmos com Ele.  Desse modo, ele mina seriamente a vontade soberana [a onipotência] de Deus, além de Sua posição divina.

c) - As três afirmações principais da Pneumatologia de Cho (doutrina do Espírito Santo) repousam na obra, no batismo e nos dons do Espírito Santo. Seu ensino está intimamente atrelado ao Panteísmo. Quando ele  insiste em que o homem pode obter e manipular o poder do Espírito Santo [transformando a Terceira Pessoa da Trindade em um simples office-boy], na melhor das hipóteses, Cho repudia a Sua soberania divina e nega a Sua personalidade; e na pior, ele virtualmente se engaja no ocultismo.  Cho acredita que o sinal do batismo no Espírito Santo é o falar em línguas [glossolalia] e, desse modo, ele deixa de reconhecer que a evidência dessa experiência repousa nas virtudes morais e não nas provas miraculosas [Gálatas 5:22 - "Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança"]. Cho insiste em que Deus ainda concede aos Seus filhos dons miraculosos e sobrenaturais. Mas, visto como o Espírito Santo vai "repartindo particularmente a cada um como quer" (1 Coríntios 12:11), Cho viola este claro ensino bíblico, quando encoraja o seu povo a buscar esses dons.

d) - Na Soteriologia  [doutrina da salvação] os ensinos de Cho sobre a natureza do evangelho e a doutrina da fé afastam-se da verdade. Ele insiste em que o evangelho inclui mais do que o perdão dos pecados. Sua visão sobre a fé é bem mais radical, pois ele acredita que uma fé, quando "definidamente usada", pode acarretar milagres. Para ele, se não há milagres, é porque não existe fé.

e) - Com respeito à doutrina do pecado, Cho falha em considerar a natureza pecaminosa do homem, quando insiste em que este é capaz de atingir o seu próprio e ilimitado potencial, simplesmente exercendo uma atitude positiva, a qual inclui a imaginação e o pensamento. Esse conceito ignora o ensino de Paulo sobre a existência, no salvo, de um conflito na tentativa de escapar da natureza do homem carnal e proceder segundo o homem interior (Romanos 7:15-24). Cho substitui o pecado humano pela soberania do homem [Essa foi a "teologia" pregada por Satanás a Eva, no paraíso - Gênesis 3:4-5].

f) - A doutrina de Cho sobre a Angelologia  se embasa na teoria da "Quarta Dimensão" (Q.D.), conceito que no final conduz ao dualismo e ao ocultismo. Ele acredita que a maligna "Q.D." tem a mesma capacidade de fazer o que Deus faz. Ele também confunde a  influência demoníaca com a possessão demoníaca, insistindo em que todas as pessoas não salvas são habitadas por demônios. Ele ainda atribui todos os pecados e enfermidades ao Diabo.

g) - Cho afirma que se não existir visualização também não acontecerá o crescimento da igreja. Ele insiste em que todo ministro precisa executar a visualização, processo pelo qual a mente de uma pessoa consegue realizar milagres e poderes através de quadros de visões e de sonhos [Um dos seus discípulos, o grande "sonhador" na América do Sul (Colômbia) foi o vidente Castellanos, criador do movimento herético G-12]. Contudo, esse método não é apenas antibíblico como também é a mais poderosa técnica ocultista conhecida, a qual tem sido praticada durante milhares de anos,  pelos curandeiros xamãs e feiticeiros.

Primeiro, o seu fundamento é antibíblico porque Cho interpreta erroneamente versos bíblicos, a fim de adaptá-los à sua teoria particular. Ela também ignora a advertência divina sobre os perigos e engodos dos sonhos e visões (Deuteronômio 13:1-5; Jeremias 23:25-32; 27:9-10). Segundo, é uma prática letal, visto como confia na mente humana e se engaja no ocultismo. Daí por que a Escritura condena tal prática.  Terceiro, ela é duvidosa, porque Cho confia em sua própria interpretação bíblica e em suas experiências pessoais [Experiências e sinais foram dados por Deus aos judeus, pois, segundo Paulo, "os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria" (1 Coríntios 1:22)].

h) -  A cura divina é outro método usado por Cho, a fim de gerar o crescimento da igreja, afirmando ser este o elemento mais essencial. Isso não é bíblico, por várias razões: 1.- repousa numa falsa premissa. A Bíblia demonstra que curas e milagres não trazem necessariamente um conhecimento salvador de Cristo.  (Mateus 9:22-25, 32-34;11:20-24; Atos 4:5-22). 2. -  ela promove motivação errônea, pois encoraja a multidão a ir à igreja com motivos ulteriores. 3. - Ela obscurece o verdadeiro propósito da cura, o qual na Bíblia autentica o messianismo legítimo de Cristo e o apostolado dos Seus apóstolos. Finalmente, o conceito de Cho camufla a verdadeira natureza da cura, visto como ele confunde desordens emocionais com moléstias orgânicas. Além de ser contrário ao modelo bíblico, Cho tem falhado em curar alguns (ou todos) que desejam ser curados.

i) - Cho ensina que a oração pode alterar definitivamente o mundo material, conduzindo ao crescimento da igreja;  contudo ele falha em reconhecer que a verdadeira oração não necessariamente exige mudança das circunstâncias do mundo material do homem, mas,  em vez disso, ela exige a mudança de atitude do crente e sua submissão à vontade de Deus. Cho também torce a significação de "orar no Espírito Santo", quando insiste em que isso quer dizer "falar em línguas". Em lugar disso, quando Paulo e Judas encorajam os crentes a "orar  no Espírito", eles estão se referindo à assistência, influência e intercessão do Espírito Santo em nosso favor (Romanos 8:26, Judas 1:20). Isso nada tem a ver com o falar em línguas, conforme Cho ensina.

 

* Cho nos conta como ele mesmo orou pelas suas necessidades:

"Ordenei tudo em termos tão articulados, que Deus não poderia errar em conceder [N.T. Aqui Cho admite que Deus pode cometer erros]. Então, senti que minha fé ia crescendo, crescendo..."  Cho diz que Deus jamais dá boas vindas às orações vagas e prossegue ensinando como o crente obtém o que pede  com esses pedidos específicos supridos pela visualização dos mesmos e em seguida trazidos à existência pela fé! Aqui está  o ponto em que o desenvolvimento carismático abandona o Cristianismo e entra no território do paganismo. Ele ensina a necessidade de um vívido quadro mental aliado a um ardente desejo e forte convicção de que o objetivo já foi conseguido. Ele chama esse processo de visualizar um objetivo, em seguida incubá-lo à realidade pela força da fé, ou seria o poder do querer? Ele ensina que os crentes devem exigir riqueza e sucesso; tudo que quiserem, contanto que estejam no âmbito da moralidade. A chave para se obterem tais coisas está na arte de fantasiá-las, porque Deus não pode trazê-las à existência, a não ser que a pessoa incuba a sua imagem.

* Embora Cho  tente dar alguma justificação bíblica às suas idéias, ele conta que as obtém em primeiro lugar  porque Deus lhas comunicou diretamente. Ele afirma que Deus lhe falou, descrevendo o mundo material como pertencendo à Terceira Dimensão (T.D.) Supostamente Deus lhe teria dito que pelo fato de todos os homens serem seres espirituais (e também seres físicos) eles têm a Q.D. em seus corações e quando desenvolvem a arte das visões e dos sonhos concentrados em sua imaginação, eles podem influenciar a T.D. (coisas materiais) exatamente como o Espírito Santo fez, ao se mover sobre a terra primitiva. Ainda conforme Cho, Deus lhe disse que os budistas e os praticantes da Yoga operavam curas "miraculosas" porque exploravam e desenvolviam o poder humano tetradimensional, imaginando quadros mentais de saúde e desejando-os para os seus corpos. Deus lhe disse que todos os seres humanos tinham o poder de exercer o legítimo domínio sobe o mundo material, através da atividade tetradimensional.

* O ensino de Cho é um sistema sobre a matéria (ou talvez imaginação sobre a matéria). Ele admite francamente que esta é exatamente uma visão cristianizada dos mesmos métodos praticados pelos budistas, expoentes da Yoga e pelos seguidores de outras práticas pagãs e místicas dos sistemas ocultistas. A única diferença é que o poder tetradimensional deles recebe a cooperação do Diabo, enquanto o poder dos cristãos recebe a ajuda do Espírito Santo [Pela visão de Cho, o Diabo e o Espírito Santo são "confrades", ou, quem sabe, "coleguinhas de escola"... nesse tipo de operação. Pode?] Ele diz que na medida em que mantemos nossas mentes longe da tolice e das idéias fúteis, manteremos as tendas de nossa imaginação livres para que o Espírito Santo possa nelas desenhar as coisas que iremos possuir [Irmãos, que tal pedir um Mercedes Benz 300?]. (Cho diz que a sua igreja - na totalidade - chegou ao tamanho atual e continua a crescer, porque ele segue esse princípio da visualização. Primeiro, ele imagina sua igreja crescendo até um certo número de pessoas, visualiza as faces de todas e em seguida incuba a visão em realidade) [De um certo modo, Cho se engravida com essas pessoas e depois dá à luz as mesmas, sua igreja se enche assustadoramente e... o inferno também! Agora entendo por que um certo pastor de uma Igreja Batista avivada nesta cidade, falou durante 30 minutos sobre a necessidade de todos os membros da mesma ficarem grávidos, conforme Maria ficou do Espírito Santo, a fim de darem à luz uma igreja enorme]. Cho ensina que todos os cristãos deveriam almejar a prosperidade do corpo, alma e espírito e que se eles fracassam nesse ponto é porque também fracassam na visualização.

* Ter confiança absoluta nas idéias que brotam na mente em forma de "desejos", é uma das características do ensino de Cho. Ter fé, conforme o seu ensino, não é somente confiar em que Deus vai realizar aquelas coisas que Ele prometeu realizar em Sua Palavra. A fé precisa ser definida como ter absoluta confiança nos desejos que nos chegam subjetivamente à mente, pois essas idéias ou desejos devem ser assumidos como uma comunicação direta com Deus [Isso explica a linguagem comum dos pentecostais; "O Senhor me falou..." E quando tudo dá errado eles culpam o Diabo, colocando Deus e o Diabo no mesmo patamar de erro]. Cho prossegue: Devemos, portanto, depositar inabalável confiança neles [idéias e desejos]. Quando tomamos essas  idéias e as imaginamos e incubamos em realidade, então os milagres acontecem, devendo ser essa a experiência de toda a nossa vida.

* O foco de Cho repousa sobre a chamada mente inconsciente [Temos aqui um discípulo ardoroso de Freud, Jung e outros psicólogos pagãos]. O pensamento da possibilidade, os pensamentos e afirmações positivas, a auto-estima, a cura interior e a visualização são todas ramos da mesma árvore genealógica de reprogramação da mente subconsciente com uma experiência positiva. A verdadeira crença, diz Cho, não acontece na mente consciente, mas sim, na mente subconsciente. Do mesmo modo, a confissão positiva, as afirmações e a visualização "criam a realidade" para a mente subconsciente. A "cura interior" opera na mesma base da cura física, a qual vem através da reprogramação da mente subconsciente com uma experiência "positiva". Ela equivale ao perdão de uma experiência "negativa". Conforme Cho, existe uma fórmula de três passos necessária à programação do subconsciente, para que suas "orações" sejam respondidas.  O passo 2 é a "oração criativa" no sentido de espiritualmente "se desenhar, até que o quadro aconteça". Cho chama esse desenho espiritual de "incubação: uma lei da fé" (Ele afirma ter ensinado uma "encruada solteirona" a pedir o seu marido a Deus, visualizando os seus desejos por um professor caucasiano alto, esbelto e musical).

         A teologia de Cho começa com a mente subconsciente e termina com Deus e Cho trocando os papéis, com Cho descrevendo a obediência do Espírito Santo à sua vontade: "... Posso entrar na Q.D. do Espírito Santo e lhe dizer que preciso de um milagre em minha igreja na Coréia, e Ele depressa executa a obra"  (Do livro Quarta Dimensão). A atitude de Jesus era exatamente o oposto: "... não seja como eu quero, mas como tu queres" (Mateus 26:39). Cho é o autor do evangelho rebelde, o qual é idêntico ao evangelho da Nova Era, o evangelho de homens se tornando co-criadores com Deus. Sua teologia vai servir de base ao cristianismo apóstata. Vamos ver como Cho a desenvolve (conforme citações do livro "A Quarta Dimensão").

1. O espírito do homem é o seu subconsciente, o qual inclui sua imaginação.

2. O subconsciente opera na Q.D. espiritual.

3. A Q.D. (casa do espírito/subconsciente) contém tanto o mal como o bem e controla, cria e incuba o reino natural da T.D.

4. O espírito ou subconsciente de qualquer homem, cristão ou não cristão, pode ser levado a controlar o mundo natural e a executar o domínio sobre as circunstâncias da T.D. (por exemplo, visualizar uma bicicleta e consegui-la). [Aqui Cho comprova sua teoria herética de que o Diabo e Deus operam no mesmo patamar,  pois antes ele declarou que um homem não nascido de novo é possesso do Diabo].

5. Para conseguir isso, o espírito/subconsciente humano deve juntar-se ao espírito da Q.D. do mal ou da Q.D. do bem. Daí por que os budistas possuem os mesmos poderes subconscientes dos cristãos.

6. "Foi então que Deus me ensinou, diz Cho, "que, uma vez que liguemos a Q.D. do nosso espírito à Q.D. do Pai Santo, podemos ter muito maior domínio sobre as circunstâncias, podendo exercer grande controle e poder sobre a T.D."

7. Nós "incubamos" o subconsciente através de nossas imaginações e visualização. Assim, "somente através de uma visão e um sonho podemos visualizar e sonhar com igrejas maiores"!

8. O Espírito Santo  vem cooperar conosco "a fim de criar, através de nossa imaginação e visualização".

9. Então, o Espírito Santo começa a executar o domínio.

 

         Cho justifica essa teologia adicionando versos da Escritura [obviamente fora do contexto, como é a praxe nos "avivados" sonhadores do evangelho]. O pacto com Abraão foi confirmado em Gênesis 15:5-6: "Então o levou fora, e disse: ‘Olha agora para os céus, e conta as estrelas, se as podes contar'. E disse-lhe: ‘Assim será a tua descendência'. E creu ele no SENHOR, e imputou-lhe isto por justiça". A visão de Cho é muito diferente. Ele diz que Abraão foi tomado pela emoção... Ele viu todas as estrelas piscando nas faces dos seus descendentes, gritando continuamente: "Pai Abraão!" E esse quadro sempre voltava à sua mente, tendo se tornado o seu próprio sonho com os seus quadros. Esses quadros logo se tornaram parte de sua Q.D., na linguagem de visões e sonhos espirituais. Esses sonhos e visões trouxeram o domínio sobre o corpo de 100 anos de idade e depressa ele foi transformado no corpo de um jovem" (do livro supra citado).

         A simples fé em Deus foi substituída por Cho pela confiança na visualização e no ocultismo. O fundamento místico de Cho está "edificado sobre a areia" movediça de Freud e Carl Jung e não sobre a Rocha: "Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo" (1 Coríntios 3:11).    A Palavra de Deus nos ensina que os homens "tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu" (Romanos 1:21). São transgressores e rebeldes, "porque a imaginação do coração do homem é má desde a sua meninice" (Gênesis 8:21). "nem sabem que coisa é envergonhar-se" (Jeremias 8:12); com "soberbos no pensamento de seus corações" (Lucas 1:51). A "teologia da Quarta Dimensão", quando  afirma que o espírito é o subconsciente e a imaginação, conclui incorretamente que o espírito nascido de novo é o mesmo que a imaginação nascida de novo. A visualização e "as forças criativas da mente subconsciente devem, portanto, ser de Deus". Em vez de renovar a mente consciente com a Palavra e Deus, Cho ensina que precisamos reprogramar o  subconsciente, a fim de podermos criar coisas através da imaginação e da visualização. Jeremias 23:16 diz: "Não deis ouvidos às palavras dos profetas, que entre vós profetizam; fazem-vos desvanecer; falam da visão do seu coração, não da boca do SENHOR". [Cho é um falso profeta]. Ele diz: "O subconsciente é o seu espírito... você pode querer saber como podemos incubar o nosso subconsciente... A única maneira de incubá-lo é através de nossas imaginações, de nossas visões, de nossos sonhos... Visões e sonhos são a linguagem da Q.D. e é através desta que o Espírito se comunica conosco. Somente através da visão e do sonho você pode visualizar e sonhar com igrejas maiores". (Quarta Dimensão).

Os frutos da Q.D. parecem ser "segredos revelados para a prece respondida e a renovação da igreja". Contudo, suas raízes revelam um evangelho ligado ao ocultismo. A doutrina de Cho de criar através de nossas imaginações, é nada mais que um bloco construído sobre a fraudulenta confissão positiva do poder da mente. Aqueles que aceitam os segredos do poder mental ensinados por Cho estão se escravizando a Satanás e não submetendo-se ao Espírito Santo. A Q.D. afirma estar preparando crentes para exercer o domínio da T.D. do mundo material;  mas o que ela realmente está preparando é uma igreja apóstata para servir ao falso cristo. [O movimento reconstrucionista está amplamente embasado nos conceitos doutrinários de Cho e todas as estrelas da mídia evangélica internacional têm rezado pela sua cartilha].

A teologia da Nova Era promove o "inconsciente coletivo", no qual todos os seres humanos possuirão a mesma estrutura psíquica. É através da mente subconsciente que o "inconsciente coletivo" da humanidade cria o bem e o mal. As formas do "pensamento do mal" devem ser substituídas pelos pensamentos positivos, os quais liberam a energia para moldar uma nova  consciência positiva.  É nossa tarefa, como indivíduos, visualizar, focalizar e dirigir essa energia. Dizem-nos que o pecado em nossos corações não é o problema, mas o "pensamento incorreto". Temos em nossas mentes potencial ilimitado para redirecionar a "consciência". A transformação na Nova Era acontece quando a humanidade se une coletivamente no pensamento positivo. Visto como a Q.D. cria a T.D. do mundo espiritual  a visualização positiva coletiva pode criar uma nova era de amor, paz e harmonia. 

Cho tem uma versão cristã: "Um dos nossos maiores problemas como humanos é a nossa auto-imagem. Não verificamos quão capazes somos como criação. Conforme o Criador, o homem é limitado apenas pela sua imaginação. A imaginação é aquela parte da mente humana que cria os quadros que dão contexto às suas ações... O grande impedimento ao potencial humano é a sua separação (uns dos outros)... Assim como a confusão das línguas na Torre de Babel separou os homens,  do mesmo modo o Pentecoste fez os homens se reunirem. "Cho explica que agora nos foi dado o Espírito Santo e, portanto, os limites de nossa imaginação acabaram. Então, a unificação das imaginações dos cristãos ‘conduz a um grande futuro, com ilimitado potencial aqui neste mundo e no mundo porvir'". (The Leap of Faith, Paul Yonggi Cho) [Na edição do "Diakrisis" do verão de 1992, um jornal erudito de Londres, Inglaterra, foi publicado um artigo intitulado "Socerous Apprentices, Testing The Spirits of a Church Bewitched" (Aprendizes de Feitiçaria, Testando os Espíritos de Uma Feitiçaria da Igreja). É um completo tratamento do pensamento da Nova Era invadindo a Igreja Cristã professa. O artigo do Diakrisis dá amplos exemplos da linguagem ocultista de Cho e dos seus paralelos nos livros textos do ocultismo.]

Os ocultistas foram os primeiros "cientistas" do mundo, durante milhares de anos.  Para executar suas feitiçarias através das "leis de manifestação", eles sempre costumavam usar três técnicas "científicas": o pensamento positivo, a fala positiva e a visualização. Embora todas estas sejam agora aceitas e usadas pela igreja evangélica professa, ninguém as tem promovida com tanto sucesso como Cho.

Sobre a fala positiva (confissão) Cho declara: "Vocês podem criar a presença de Jesus com suas bocas... Ele é cativo dos seus lábios pelas palavras..." Quanto à visualização, a mais poderosa técnica ocultista, Cho declara: "Através da visualização e do sonho, vocês podem incubar o seu futuro e deslanchar os resultados". No prefácio do seu livro mais conhecido,  "A Quarta Dimensão", Robert Schuller escreve sobre a visualização: "Não tente compreendê-la, simplesmente comece a usufruí-la! É verdade. Ela funciona. Eu tentei. Obrigado, Paul Yonggi Cho, por permitir que o Espírito Santo entregue essa mensagem ao mundo!" (O próprio Cho admite que esta mensagem de esperança sempre exalta as pessoas e focaliza exclusivamente a prosperidade, a saúde e a solução dos problemas da vida. Este ensino entrega o enganoso encorajamento ao egoísmo, advogando a perigosa mensagem da exaltação do homem através do auto-amor, da auto-estima e da auto-dignidade).


* Uma característica do cristianismo coreano é a tendência a ver o cristianismo como uma trilha à prosperidade material. Essa tendência tem sido um resíduo do xamanismo, que foi, durante séculos, a religião nativa do povo coreano e de outros países asiáticos. No xamanismo você pede ao xamã (uma espécie de curandeiro ou curandeira) que interceda aos espíritos para que eles garantam sua saúde e sucesso nos negócios. Existe no xamanismo coreano um grande espírito que está acima dos outros, o qual não pode ser contatado pelos xamãs. "Isso ajudou o Cristianismo a sair do terreiro", diz David Susan, um missionário luterano,  "porque quando vieram os primeiros missionários e disseram: ‘Existe um Deus Todo-Poderoso que vai julgá-los após sua morte', os coreanos falaram: "Ah, sim. Já ouvimos falar desse deus antes'". Mas, de um certo modo, isso facilitou os coreanos a aceitarem facilmente o cristianismo. Muitos professos cristãos coreanos ainda consideram os deuses do xamanismo e o Deus dos cristãos como espírito afins.

A disposição religiosa dos coreanos é tão bitolada como manipulada  pelo cristianismo de Paul Yonggi Cho, com a sua mistura de feitiçaria, domínio da mente sobre a matéria, interesse próprio, xintoísmo, budismo japonês e cristianismo. Contudo, misturar idéias pagãs com a religião pura de Cristo é condenado na Escritura como sendo um hediondo pecado de idolatria. É um casamento do cristianismo com o ocultismo, o qual é condenado pelo Apóstolo Paulo, na 2 Coríntios 6:14: "Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?"

        O que construiu a maior igreja do mundo? A resposta é: uma mistura idólatra de ensino bíblico com técnicas mentais do paganismo. Deus é privado de Sua soberania na vida dos crentes [que seguem os ensinos de Cho] sendo substituído pela autoridade de mensagens supostamente vindas de Deus e pelo produto da própria imaginação. (Peter Masters, "The Healing Epidemic", p. 35).

Artigo traduzido e comentado por Mary Schultze, 14/07/2007.



Data: 18/03/2008

Listar todos Estudos Biblicos
- O Frio Deus do livro "A Cabana"
- Teologia Gay - João Luiz Santolin e Sergio Viula
- A APOSTASIA DE PHILIP YANCEY
- O QUE SERÁ ILEGAL QUANDO A HOMOSSEXUALIDADE FÔR [totalmente] LEGAL.
- Análise do Livro - O Segredo
- O Batismo Infantil
- A Terra cambaleia como um bêbado...
- O homem que sabia Javanês
- Paulo, Plantador de Igrejas: Repensando fundamentos bíblicos da obra missionária
- A Razao da Nossa Fé
- Quem São os Filhos de Abraão?
- Uma Bíblia, Muitas Versões
- A Importância da Pregação Reformada
- O Fruto do Espírito
- Disciplina na Igreja
- Por que Não Falamos em Línguas? (dos irmãos batistas)
- HISTÓRIA DA ESCOLA DOMINICAL NO BRASIL
- Espiritismo é Cristão?
- Paul (David) Yonggi Cho
- Uma Onda Letal
- Heresias Neopentecostais
- CPR - Tabela de Religiões e Seitas comparadas
- Adoradores ou Consumidores?
- Obstáculos Para Vir a Cristo
- A alma católica dos evangélicos do Brasil
- Um Novo Cântico
- Os cinco pontos do Calvinismo - Parte 2
- Os cinco pontos do Calvinismo - Parte 1
- Opinião: Livro "Bem Vindo, Espírito Santo"
- Uma Defesa do Calvinismo
- Pecadores nas Mãos de Um Deus Irado
- Apascentando Ovelhas ou Entretendo Bodes?
- Livre Arbítrio - Um Escravo


 
 
Tecnologia abconsult
Home | Agenda | Estudos Biblicos | Fale Conosco | Galeria de Fotos | Liderança | Novidades | Sobre Nós